TAPETE DE CROCHÊ HISTÓRICO







Comecei a tecer este tapete há mais de 10 anos e até hoje não conclui.
É um trabalho demorado mas muito divertido. Aconselho todos arteiros a começarem o seu.
Foi a maneira que encontrei para usar as pequenas sobras de barbante. Sabe aquela sobra, que de tão pequena não dá para começar e nem concluir trabalho algum? Quem faz tapete sabe muito bem do que estou falando.
Pois bem, quando meu atelie ainda era em Osasco, acumulei muitas sobras e resolvi começar o tapete. No início foi muito bom ver aquele volume enorme de cones ir diminuindo e meu tapete aumentando. Quando eu pensava em terminar, aparecia mais sobra de barbante e mais ideias na minha cabeça para continuar o mesmo tapete.
Comecei tecendo em círculo com raios separados por correntinhas. Depois resolvi dar uma incrementada, mudando o procedimento de aumento para modelo catavento.
Os barbantes e linhas eram de várias numerações de texturas e cores. Nada me impedia de deixar tudo no mesmo padrão; fiz várias misturas. Usei fio duplo, misturei cores e texturas, troquei de agulha várias vezes. Cada carreira virou uma história diferente.
Além de enxergar várias cores, quando olho para o tapete eu também vejo muitos acontecimentos da minha vida. Basta bater o olho num ponto ou numa cor para lembrar da época que teci aquela parte do tapete.
Decidi que não vou concluir esta peça tão cedo, mas vou usá-lo mesmo assim. O tapete se transformou num grande companheiro que sempre me acompanha. É lógico que ele ganhou um cantinho especial no meu atelie, onde todo mundo pode olhar, mas não pode pisar. Assim, ele vai estar sempre pronto para ser tecido e receber minhas ideias.
Gosto muito da maneira que o artesanato mexe com a mente e a vida da gente. Enquanto eu tiver ideias, força e disposição para trabalhar, meu tapete vai crescendo. E assim vou vivendo...tecendo minha vida, deixando-a cada vez mais colorida, tornando-a grande com as pequenas coisas que encontro pelo caminho.
Bom trabalho para vocês!














































Comentários